As Congadas de Atibaia e o Ciclo Natalino

Publicado em 20/12/2017
Imagem do Artigo As Congadas de Atibaia e o Ciclo Natalino

Atibaia foi fundada em 1665. Foi caminho obrigatório para os Bandeirantes que saíam de São Paulo rumo às Minas Gerais. Sua proximidade com a capital também acelerou o progresso e muitos fazendeiros ou donos de terras por aqui se estabeleceram. Com isto, a vinda de negros da África para o trabalho escravo esteve presente.

Esta população negra, guiada pelos princípios e dogmas da Igreja Católica, assimilou e propagou a maioria das tradições que conhecemos hoje.

Segundo pesquisa através do trabalho da história oral, sabemos que muitos dos senhores fazendeiros e coronéis possuíam dois tipos de propriedades em Atibaia. A fazenda e a casa da cidade. Para esta “casa da cidade” a família se dirigia na época das Festas do Natal. E, para sua comodidade, traziam consigo os escravos, que nestes dias davam conta de preparar toda a alimentação, ornamentação e limpeza da casa, para a chegada dos parentes e convidados. Alguns destes escravos ficavam acomodados nas casas e outros em alojamentos localizados nos arredores da rua que conhecemos hoje como a Rua 13 de Maio.

Foi neste período que os grupos de Congadas surgiram. Aos negros não era permitida a entrada nas Igrejas dos senhores – aqui a Igreja Matriz de São João Batista. Eles só podiam frequentar a Igreja Nossa Senhora do Rosário, construída por eles e para eles por volta de 1776.

E era na frente desta Igreja que depois de servido o almoço do dia de Natal, os escravos eram liberados para realizarem as suas manifestações. Surge, assim, para comemorar o Dia do Senhor Menino, o levantamento dos Mastros de Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito, dando início ao Ciclo Natalino, com uma série de comemorações.

A formação dos grupos de congadas também está ligada à fazenda a qual os escravos pertenciam e era o seu dono que proporcionava as roupas, daí os grupos serem diferenciados pelas cores das fardas. Hoje estão em atividade quatro grupos de Congadas: a Azul, a Verde, a Vermelha e a Rosa.

Após a libertação dos escravos, sabemos que muitos deles abandonaram as propriedades e saíram para as ruas sem rumo. Outros, foram convidados a permanecer nas antigas propriedades, apenas com a garantia de um lugar para viver e outros, ainda, com o recebimento de salários ínfimos que mal davam para o seu sustento, saíram em busca de novos horizontes.

O que chamamos hoje de “Ciclo Natalino”, recebeu outras denominações no passado como:

1 - Festa do Rosário – onde destacamos a supremacia desta santa sobre São Benedito. Outro motivo pelo qual a nossa Cavalhada tem o nome de “Cavalhada de Nossa Senhora do Rosário”.

2 - Festas do Natal – incluindo a Procissão do Senhor Menino do dia 25 de dezembro após o Levantamento dos Mastros.

3 - Festas de Final de Ano – também com a Missa do Galo e todos os rituais dos Congos.

4 - Festa da Congada – com ênfase aos dois dias em que se comemoram Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

Mas, elas são uma só. Sempre estiveram presentes na vida da comunidade católica da cidade e assim continuarão se os grupos rituais, a comunidade católica e o poder público estiverem unidos para apoiar e realizar esta festa.

 

Lilian Vogel
Gerente de Folclore e Cultura Popular da Prefeitura de Atibaia
Comissão Paulista de Folclore
Comissão Nacional de Folclore

Eventos do Ciclo Natalino


Dia 25 de dezembro

17h levantamento dos Mastros de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito – Praça Guilherme Gonçalves

17h30 Procissão do Menino Jesus

Dia 26 de dezembro

10h Cavalhada – Benção dos Animais na Praça Guilherme Gonçalves

Dia 27 de dezembro - Dia de Nossa Senhora do Rosário
 
6h Alvorada dos Ternos de Congos – Repique de sinos e Fogos – Praça da Matriz

9h30 Cortejo da Coroa – Saída da Igreja Matriz para a Igreja do Rosário

10h Missa em Louvor à Nossa Senhora do Rosário

18h30 Cortejo da Coroa – Saída da Igreja Matriz para a Igreja do Rosário

19h  Missa em Louvor à Nossa Senhora do Rosário

20h Procissão de Nossa Senhora do Rosário

 
Dia 28 de dezembro - Dia de São Benedito

6h Alvorada dos Ternos de Congos – Repique de sinos e Fogos – Praça da Matriz

9h30 Cortejo da Coroa – Saída da Igreja Matriz para a Igreja do Rosário

10h Missa em Louvor a São Benedito

18h30 Cortejo da Corôa – Saída da Igreja Matriz para a Igreja do Rosário

19h  Missa em Louvor a São Benedito

20h Procissão de São Benedito

21h  Queima de Fogos

Dia 07 de janeiro

17h Descimento dos Mastros de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito